Minimalismo: O que é e como começar

Você já ouviu falar de minimalismo, mas não tem certeza do que está por trás disso ou de como começar? A seguir, gostaria de explicar brevemente o conceito e dar algumas dicas básicas simples para o seu início como um(a) minimalista.

O minimalismo não tem uma definição clara e é percebido de forma diferente por pessoas diferentes. Em essência, o minimalismo como estilo de vida é uma espécie de contra-movimento à constante consumo inconsciente, abundância e materialismo. Por detrás do minimalismo está a ideia de que uma vida minimalista pode ser a solução para a carga materialista a que muitas pessoas conscientemente ou inconscientemente se sentem expostas. Para aqueles que possuem pouco têm pouco com que se preocupar, mas têm mais espaço, tempo e dinheiro. E isso pode fazer você feliz.

Ao mesmo tempo, a renúncia consciente é certamente também uma reação a reportagens da comunicação social (e disponibilidade de informação) sobre problemas como a agricultura industrial, a exploração dos trabalhadores têxteis, a produção de óleo de palma e os resíduos plásticos.

O minimalismo pode assumir muitas formas: desde uma redução consciente de certas coisas até à completa auto-suficiência. Por exemplo, viver de forma minimalista pode significar viver sem carro, televisão, geladeira ou mesmo dinheiro, possuir o menor número possível de objetos, não produzir lixo, cultivar alimentos ou consertar coisas por conta própria – mas também trabalhar menos, acabar com relacionamentos insatisfatórios ou desistir de hábitos estressantes.

Além disso, o minimalismo hoje em dia está intimamente ligado às tendências para a bricolagem e para a chamada “economia de ações” e “consumo colectivo” (contrair empréstimos, trocar, compartilhar). As possibilidades da Internet tornam a renúncia consciente muito mais fácil do que em tempos anteriores: Não só a partilha de carros, de ficheiros online, transmissão de música e filmes, mas também blogs de bricolagem, “up-cycling” e receitas abrem muitos caminhos e oferecem ajuda aos minimalistas, “downshifters” e aqueles que se recusam ao consumo. Os minimalistas podem passar sem muito ou quase tudo – mas provavelmente não sem um laptop e acesso à Internet.

Neste artigo eu gostaria de dar dicas para o minimalismo material, que eu encontrei durante a minha pesquisa. Notei que eu mesmo os tenho usado inconscientemente por muito tempo, porque durante meus estudos e para meu primeiro emprego permanente tive que me mudar mais de meia dúzia de vezes dentro e entre cidades e países. Como resultado, eu não podia me dar ao luxo de possuir muitas coisas, pois normalmente podia ou queria levar em um carro, uma ou duas malas cheias. Além disso, durante este tempo eu não tinha dinheiro para comprar coisas novas o tempo todo ou preferia guardar para viajar. Agora que estou na vida profissional, tento conscientemente não acumular demasiadas coisas e me questiono se realmente preciso de algo antes de tomar uma decisão. Isto tem a vantagem de o meu quarto no meu apartamento compartilhado não estar (ainda) cheio de lixo e, ao mesmo tempo, posso poupar muito dinheiro.

Como posso viver de forma mais minimalista?

Minimalismo como estilo de vida significa: renúncia consciente a fim de dar lugar ao essencial. Mas se livrar de algumas coisas ou nem comprá-las em primeiro lugar é muitas vezes difícil. Estas dicas vão ajudá-lo a tornar-se (e a permanecer) minimalista dentro de algumas semanas.

1. Pergunte você antes de cada compra “Eu realmente preciso disto?”

Essa é minha dica número um, que também funciona muito bem para mim. Ao se fazer esta pergunta e responder honestamente, você toma decisões mais conscientes e independentes.

A questão não é tão banal como pode parecer. Porque todos nós compramos coisas que realmente não precisamos, só porque são baratas, disponíveis ou “na moda”. Mas no final, muitas vezes parece ser assim: As coisas que nos pertencem um dia – porque temos de cuidar delas, lidar com elas, cuidar delas. Se quiser viver de forma mais simples, não compre nada – e isso pode começar com um “Coffee to go” a caminho do trabalho.

2. Fazer um “inventário” regular em casa

É difícil largar as coisas, muita gente o faz. Por isso não é surpreendente que muitas coisas se acumulem em cada um de nós ao longo do tempo. No entanto, já não precisamos de muitas delas ou só os guardamos porque pensamos que um dia poderão voltar a ser úteis. Mas este dia raramente chega realmente. 

Para resolver isso eu costumo me fazer as seguintes perguntas:

– Eu ainda tenho espaço suficiente no meu quarto/corredor/cozinha/banheiro ou armário/prateleira? 

– O que ocupa espaço desnecessariamente? 

– Tenho mais do que preciso?

– Eu ainda preciso mesmo disso? 

– Fico feliz por ficar com ele?

3. Classificar as coisas – mas de forma sustentável

Acabou a triagem? Então agora é hora de se livrar disso. Por favor, não deites tudo a perder. Há formas melhores.

Em muitos lugares são realizadas semanalmente mercado de pulgas. Lá você pode vender suas coisas descartadas. Desta forma você pode prolongar a vida útil dos seus itens e até mesmo ganhar algum dinheiro. Na Internet, você também pode fazer isso através de portais de vendas como o “Mercado Livre” ou grupos do Facebook.

Se vender é muito demorado para você, você também pode doar ou dar os seus itens. Muitas vezes, existe a possibilidade de doar itens classificados para instituições sociais.

Como permanecer minimalista

Uma vez que você tenha se livrado de tudo que é supérfluo, o verdadeiro desafio vem: permanecer minimalista.

Passo importante: tornar tudo tão visível quanto possível. Da roupa à comida e aos livros. Não guarde suas coisas no canto de trás, seu armário ou na prateleira superior do depósito. Porque só quando você fica de olho nas suas coisas é que sabe o que possui e não compra coisas novas desnecessariamente.

E antes de comprar algo novo: peça emprestado, troque, conserte. 

Mais uma dica para se agarrar a uma vida minimalista e não amontoar muitas coisas novas: Por cada parte que você compra nova, você se livra de uma velha. Assim, o número dos seus bens permanecerá sempre o mesmo. É especialmente bom para roupas, livros ou artigos decorativos.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.